Moradores do estado de São Paulo sofrem com a falta de energia elétrica há mais de um dia e relatam prejuízos, perrengues e situações graves pelas quais estão passando por causa da situação. Segundo a concessionária Enel, 1,4 milhão de clientes foram afetados, e a volta completa da energia deve ocorrer apenas na terça-feira (7).



Os moradores dizem que estão perdendo alimentos guardados na geladeira, especialmente carnes congeladas. Mas descrevem ainda diversas outras dificuldades, como aparelhos descarregados, tomar banho com água fria e o impacto da falta de energia para idosos e pessoas que precisam de aparelhos, como respiradores.


Vander Costa, morador de Osasco, na Grande São Paulo, relata que está precisando ir seguidas vezes ao shopping para recarregar celulares e notebook. Na região, a falta de energia começou por volta das 16h30 de sexta-feira (3) e perdurava em algumas vias na tarde de sábado (4).


Vander conta que está perdendo alimentos armazenados em razão da situação. “No freezer tem sorvete que virou água, frango descongelado que já foi pro lixo e por aí vai”, afirma.


O problema com alimentos também é apontado por Camila Moraes, moradora de Juquitiba, na Grande São Paulo. “Todos os dias ligando, pedindo para Enel vir até aqui, mas descaso total. Minha mãe perdeu 15 kg de carne por conta da falta de luz”, afirma.


Morador do Campo Limpo,  zona sul de São Paulo, Wellington Dias também relatou problemas e uma queixa comum dos moradores: ele ficou uma hora e meia no telefone com a Enel para comunicar a falta de energia. Outros consumidores dizem ainda que não estão conseguindo contato com a concessionária porque os equipamentos descarregaram e não há internet.


Clique aqui e receba as notícias do R7 no seu WhatsApp

Compartilhe esta notícia no WhatsApp

Compartilhe esta notícia no Telegram

Casos graves



Moradores relatam também situações mais graves, em que pacientes ou idosos estão passando dificuldades pela falta de energia. As queixas vão desde falta de água quente para banho e falta de elevadores à impossibilidade de usar respiradores.


Patrícia, mãe do paciente William Ferreira de Oliveira, denunciou a falta de energia em sua casa no Jardim Santa Margarida, região da zona sul de São Paulo. William, de 29 anos, utiliza BiPAB, que é um aparelho eletrônico que funciona como um respirador no tratamento de doenças. O rapaz sofre de uma doença rara no metabolismo.


Segundo a mãe de William, se a saturação do filho não baixar ou não conseguir recarregar o aparelho, precisará encaminhá-lo ao hospital mais próximo. “Está difícil, não sabemos que hora vai vir essa energia. Estou desesperada”, relata.


Um caso parecido acontece no bairro Vila Carrão, zona leste de São Paulo. O paciente Wilson Ascencio Micci, de 57 anos, também precisa utilizar o aparelho para auxiliar na respiração, mas, até o início da tarde de sábado, a energia não tinha sido restabelecida. De acordo com o irmão do denunciante, o site da Enel não comporta acionamento de chamado.

Enel


O prazo dado pela empresa para o restabelecimento da energia em regiões afetadas é terça-feira (7). As informações foram passadas durante uma coletiva de imprensa com o prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes (MDB), e o diretor responsável pela infraestrutura e redes da Enel Brasil, Vincenzo Ruotolo, na tarde deste sábado.


“É um evento excepcional. A região mais afetada é a sul. Dobramos a quantidade de recursos em termos de reconstrução da rede para acelerar o processo de recuperação”, afirmou o responsável pela administração da concessionária no estado. 


Os ventos chegaram a mais de 100 km/h no temporal de sexta, e os bombeiros receberam mais de 2.000 chamados relativos a queda de árvores.


*Colaborou Helena Osagie, da Agência Record, sob supervisão de Nayara Paiva


Veja rastro de destruição deixado por ventos de mais de 100 km/h durante temporal em SP

source